vou contar um segredo

Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vou Contar Um Segredo

Como Ser Saudável Num Mundo Insalubre

Vou Contar Um Segredo

Como Ser Saudável Num Mundo Insalubre

Somos o Que Comemos #7

Leite: O Mais Recente Eterno Vilão

 

 

 Era uma vez uma indústria que conseguiu convencer todos de que o consumo dos seus produtos seria vital para a maioria das pessoas. Beber leite, muito leite, todos os dias várias vezes por dia para termos dentes e ossos fortes e crescermos bem, para que um dia quando chegassemos à velhice não sofressemos de uma terrível doença chamada osteoporose. E pronto, lá passei eu a minha infância e a minha adolescência a beber leite diariamente. Leite com chocolate e mais tarde leite com cevada. Bebia e ficava mal disposta. Durante anos não percebia o porquê de tanta indisposição até que comecei a ouvir falar em intolerância à lactose, na dificuldade em digerirmos o leite de vaca, nos problemas intestinais que os lacticínios provocam, nas reações alérgicas...enfim...e depois ainda descobri que o dito cálcio tão importante que o leite tinha, afinal não era assim tão bem absorvido pelo nosso organismo.
Segundo o Dr. José Roberto Kater, nutrólogo, a constituição do leite de cada mamífero é própria para aquele mamífero e não serve para outro. Refere ainda que apesar de o leite de vaca ter 4 a 5 vezes mais cálcio do que o leite humano, ele é feito para bezerros pois o equilíbrio de minerais que ele contém não permite a boa absorção de cálcio pelo nosso organismo. Contém pouco magnésio (sem magnésio o cálcio não fixa no osso), contém demasiado fósforo (o fósforo compete com o cálcio) e tem proteína demais acidificando o nosso sangue e para alcalinizar o sangue os rins vão buscar cálcio aos ossos. Resultado: em vez de absorvermos o cálcio do leite corremos o risco de perder cálcio ao tomar leite de vaca.

Por outro lado, normalmente as vacas são submetidas a centenas de injeções (com diferentes drogas) e a tratamentos com hormonas e pesticidas  - todos eles passam resíduos para o leite que ingerimos!
Além disso o leite de vaca tem muita gordura e caseína, uma proteína que várias pessoas têm dificuldade em digerir, mas o que muita gente não sabe é que a fervura do leite destrói as suas grandes moléculas indigestas facilitando a sua digestão. Portanto se tiver mesmo de o beber, ferva-o primeiro ou então opte por leite de cabra que tem as suas moléculas menores e é mais bem tolerado pelo nosso organismo. No entanto o melhor mesmo é eliminar ou reduzir drasticamente os lacticínios (com exceção do iogurte) da sua vida! Não foi à toa que a Harvard School of Public Health retirou os lacticínios e seus derivados da pirâmide alimentar tendo como motivo o risco do aumento do cancro da próstata e dos ovários, aconselhando a sua limitação a uma ou duas porções diárias.

 

Numa investigação levada a cabo por esta instituição, concluiu-se que a gordura saturada que se encontra nos lacticínios e os componentes químicos que são utilizados durante a sua produção, tornam-nos num alimento de alto risco. 

O iogurte é o único lacticínio que entra na minha alimentação e com moderação (apenas natural e em breve só feito em casa) porque o tolero bem, porque tem níveis de lactose bastante reduzidos e porque contém bactérias benéficas ao nosso intestino.

Alternativas ao leite para uma boa absorção de cálcio:

- Vegetais de folha verde-escuros (brócolos, couve-de-bruxelas, repolho, e couve-portuguesa, couve em geral, nabiça, etc.), tofu, frutos e sementes oleoginosas e o cereal amaranto.